Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Gama > WorkIF reúne aluna e egressa do curso de Licenciatura em Química do Campus Gama
Início do conteúdo da página

WorkIF reúne aluna e egressa do curso de Licenciatura em Química do Campus Gama

Criado: Quinta, 29 de Novembro de 2018, 16h53 | Publicado: Quinta, 29 de Novembro de 2018, 16h53 | Última atualização em Quinta, 29 de Novembro de 2018, 17h49 | Acessos: 371

A estudante de Licenciatura em Química Bianca Luísa, do Campus Gama do Instituto Federal de Brasília (IFB), está participando do WorkIF em Cuiabá/MT e, na última quarta-feira (29), teve a oportunidade de visitar o Colégio Estadual Eliane Digigov Santana, escola da região. Uma das professoras da instituição, Isabel Dranka, é egressa do mesmo curso no Campus Gama.

"A experiência aqui na cidade está sendo muito empoderadora para todos nós. Eu estou super empolgada em explorar ainda mais a área de ensino de ciências. Os próprios alunos, no WorkIF, estão mostrando o que produzem em seu IF. É essa iniciativa de integração de estudantes e troca de experiências que podem colaborar com a educação do nosso país. Hoje fui ao colégio e tive um contato com uma realidade que não estou acostumada; os desafios em sala de aula são muitos, mas a liberdade do professor, se bem trabalhada, e a vontade de ser colaborador no crescimento dos alunos podem superar diversos obstáculos”, detalhou a aluna.

Pela manhã, ela acompanhou as aulas do 1° ano do ensino médio da professora de Química Isabel Dranka, egressa do curso de Licenciatura em Química do Campus Gama do IFB, e que atualmente é professora concursada pela Secretaria de Educação de Mato Grosso.

"Ao concluir o curso, ainda tinha uma visão idealizada da docência, e a realidade é um tanto quanto mais difícil. A escola pública é carente em diversos aspectos: infraestrutura, disciplina, base dos alunos... O edifício, por exemplo, tem muito potencial; falta cuidado e consciência por parte dos alunos, e também de outros, de zelar pelo bem público. Faltam incentivos para promover o desenvolvimento de projetos pedagógicos de alguns professores. Há muitos desafios e poucas pesquisas educacionais in loco que invistam na extensão entre a academia e as escolas, que alie teoria e prática escolar, se comparado a pesquisas em outras áreas afins. Temos ainda um longo caminho a percorrer na formação de professores dentro e fora das universidades e institutos federais”, opinou a egressa.

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página