Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Taguatinga > Campus Taguatinga premia os vencedores do 1° Concurso de Redação “Viva as Relações Étnico-raciais”
Início do conteúdo da página

Campus Taguatinga premia os vencedores do 1° Concurso de Redação “Viva as Relações Étnico-raciais”

Criado: Quinta, 22 de Dezembro de 2016, 11h05 | Publicado: Quinta, 22 de Dezembro de 2016, 11h05 | Última atualização em Quinta, 22 de Dezembro de 2016, 11h13 | Acessos: 427

A Comissão Organizadora do 1° Concurso de Redação “Viva as Relações Étnico-raciais”, composta pelos alunos do 2º ano do Curso Técnico Integrado em Eletromecânica do Campus Taguatinga do Instituto Federal de Brasília (IFB), realizou cerimônia de premiação dos vencedores.

O concurso, que faz parte do projeto submetido ao Edital nº 14/2016 do Programa de Incentivo à Cultura, ao Esporte e Lazer (PINCEL), contou com a parceria do Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas (NEABI) do Campus Taguatinga, que inaugurou suas atividades com o apoio ao projeto.

“O projeto contribuiu não só para mim mas para os outros jovens que participaram do concurso, pois propôs um tema polêmico, mas necessário ser refletido no âmbito acadêmico”, avalia a estudante Márcia Regina, ganhadora do 3.º lugar na categoria Nível Superior.

Além da premiação, na cerimônia, também foi proferida uma palestra pelo professor de Filosofia Adeir Ferreira, da Secretaria de Educação do Distrito Federal. Na oportunidade, o palestrante propôs algumas reflexões sobre as relações étnico-raciais. Houve ainda a apresentação do Neabi do Campus Taguatinga à comunidade acadêmica.

Para o estudante do 2.º ano do Ensino Médio Integrado em Eletromecânica e integrante da comissão organizadora, Luan de Castro França, de 16 anos, a realização do Concurso de Redação levou à comunidade estudantil novas perspectivas acerca das relações étnico-raciais, sobretudo dentro do próprio Campus Taguatinga.

“O concurso nos incentivou e deu mais força para continuarmos a defender esta bandeira, que todos deveriam defender. Descobrimos que há pessoas com lutam conosco e isso nos dá motivação a continuar. Contribuímos para a manifestação de opiniões diferentes, o que foi importante para a reflexão por meio da escrita – assim contribuindo com a ampliação do pensamento”, analisa e finaliza Luan.

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página