Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Extensão > Educação Inclusiva
Início do conteúdo da página

Coordenação de Ações Inclusivas/CDIN da Pró-reitoria de Extensão

Acessos: 9003

A Coordenação de Ações Inclusivas/CDIN da Pró-reitoria de Extensão atua para a melhoria do atendimento ofertado a comunidade interna e externa, sendo responsável pelas temáticas envolvidas com a inclusão de pessoas com deficiência, assuntos relacionados a gênero, raça, diversidade sexual e população em vulnerabilidade social.

A CDIN realizada várias atividades e eventos com a temática inclusiva. Essas ações contribuem para disseminação do conhecimento na área, possibilitando a todos os envolvidos uma maior compreensão do papel do IFB e favor de um melhor atendimento educacional a todos os nossos estudantes. Em 2016 foram realizados os eventos abaixo:

O II Ciclo de Palestras em Educação Inclusiva, com 04 palestras nos campi do IFB e 02 entrevistas participativas, contou com a participação total de 448 pessoas. O objetivo foi promover palestras sobre o atendimento específico aos estudantes, bem como levar informações sobre diversidade, inclusão, imigração, gênero e raça. A escolha pelos temas abordados teve como finalidade sensibilizar o público, fomentar a reflexão sobre os assuntos abordados e proporcionar debates sobre esses temas.

O V Fórum Distrital de Educação Profissional e Tecnológica Inclusiva, realizado nos dias 29 a 31 de agosto no campus Riacho Fundo teve a participação de 286 pessoas. Com o tema “Desafios na Educação profissional e Tecnológica: a diversidade que nos une”, o evento contou com programação cultural, apresentação de comunicações orais, palestras, mesas redondas abordando várias temáticas, dentre elas: raça, gênero, diversidade sexual e necessidades específicas. Participaram desta edição os IFs Mato Grosso, Pará, Rio de Janeiro, Amazonas, Minas Gerais, Roraima entre outros, além de instituições locais, como a Universidade de Brasília (UnB), Senac e Senai.

O VI Encontro Distrital de NAPNE do IFB, realizado no dia 5 outubro, dentro do CONECTA IF e teve a participação de 101 pessoas. Com o tema “Conquistas e Desafios à acessibilidade dos estudantes e servidores da rede federal”, através de mesas redondas e palestras o evento abordou vários temas relativos ao atendimento das pessoas com necessidade específica.

III Encontro de Tradutores e Intérpretes de Libras do IFB, realizado nos dias 6 e 7 de outubro, dentro do CONECTA IF com a participação de 117 pessoas. Com o tema “Atuação dos tradutores e intérpretes de Libras nas Instituições Educacionais”, o evento abordou a temática de formação dos tradutores e intérprete de libra; promoveu aos participantes a troca de conhecimentos específicos na área de tradução e linguística da língua de sinais, com o aprimoramento de novas habilidades por meio de oficinas, além de apresentar tecnologias desenvolvidas pelo Instituto Politécnico do Porto/Portugal.

A V Semana de Reflexões sobre Negritude, Gênero e Raça (SERNEGRA: Decolonialidade e Antirracismo) ocorrida entre os dias 20 a 23 de novembro no campus Brasília, teve a participação de mais de 600 pessoas. Esta edição propôs o debate sobre a luta antirracista no Brasil a Teoria (e a práxis) Decolonial, ainda não muito divulgada entre nós. Fundada no trabalho de pensadores negros como Franz Fanon e Aimé Césaire, a Teoria Decolonial vem construindo na última década uma interpretação libertária da América Latina centrada no enfrentamento da desigualdade racial, que é vista como intrínseca à modernidade/colonialidade. A programação contou com diversas atividades culturais, palestras, oficinas, debates, além da apresentação de trabalhos científicos e a participação de pesquisadores/as de diversas instituições do Brasil em grupos de trabalho. A organização do evento foi composta pelo Grupo de Pesquisa Estudos Culturais sobre Classe, Gênero e Raça - campus Brasília em parceria com as Pró-reitoria de Extensão do IFB.

 

Esta coordenação atua em parceria com os Núcleos de Atendimento às Pessoas com Necessidades Específicas/NAPNEs de cada campus para atender às demandas locais, contribuir e disseminar uma cultura de “educação para a convivência”, aceitação da diversidade e, principalmente, buscar a quebra de barreiras educacionais, de comunicação e atitudinais, de forma a promover a inclusão na educação profissional e tecnológica. As reuniões realizadas ao longo do ano, objetivam a integração com os membros, a fim de fortalecer a rede de colaboração tão importante nos dias de hoje.

O NAPNE é composto por no mínimo três (03) servidores do IFB, dentre eles, um coordenador(a), e por uma equipe multidisciplinar voluntária, subordinado diretamente à Diretoria de Ensino Pesquisa e Extensão do campus. Seus membros deverão ser dispensados para participar das atividades de inclusão, conforme carga horária estabelecida e necessidades apresentadas. Este núcleo foi regulamentado pela Resolução IFB nº 24/2013, que trata do funcionamento e das atribuições deste núcleo e de seus membros, e estabelece que 1% do orçamento do campus deve ser usado para as ações de inclusão. Nos campis, os NAPNEs, realizam a Semana de Acessibilidade com o apoio da CDIN.

Atualmente o IFB conta com 10 (dez) NAPNE, localizados nos seguintes campus: Brasília, Ceilândia, Estrutural, Gama, Planaltina, Riacho Fundo, São Sebastião, Samambaia, Taguatinga, Taguatinga Centro.

A CDIN também contribui para a formação em áreas específicas, por exemplo, em 2016 realizou os Cursos de Extensão “Capacita Brasil” e “Linguagem, Surdez e Inclusão Social”. O primeiro teve por objetivo a formação na área de deficiência visual e foi realizado em parceria com o Instituto Benjamim Constant/IBC e com o NAPNE do campus Taguatinga. O segundo proporcionou formação na área de deficiência auditiva e surdez, sendo realizado em parceria com os NAPNEs dos campi São Sebastião e Riacho Fundo.

A realização das diversas atividades, apresentados acima, teve como finalidade sensibilizar o público, fomentar a reflexão sobre os assuntos abordados e proporcionar debates acerca das possibilidades de atendimento frente às novas demandas educacionais.

De acordo com a avaliação do público, os eventos foram bem aceitos pela comunidade interna e externa, demonstrando também uma expressiva participação da comunidade externa que os prestigiou. Os Cursos de Extensão também foram bem avaliados pelos cursistas. Dessa forma, a CDIN busca disseminar em todos os campi conhecimentos essenciais para promover a melhoria do atendimento realizado a comunidade.

 

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página