Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Portuguese Portuguese
pt Portugueseen Englishes Spanish
Página inicial > Espaço do Estudante > Notícias > Estudantes do IFB embarcam para intercâmbios na China, Canadá e no Japão
Início do conteúdo da página

Estudantes do IFB embarcam para intercâmbios na China, Canadá e no Japão

Criado: Segunda, 27 de Março de 2023, 16h34 | Publicado: Segunda, 27 de Março de 2023, 16h34 | Última atualização em Segunda, 27 de Março de 2023, 16h37 | Acessos: 1708

Fernando Lopes está na expectativa de embarcar para o Canadá em breve. Ele vai fazer uma imersão em estudos de Inglês na ILSC Toronto, escola que fica localizada no Canadá, no período de 24 de abril a 19 de maio. Fernando é aluno do curso superior de Eventos do IFB Campus Brasília e foi um dos selecionados no Edital 17/2022.

Esta não é a primeira viagem internacional do estudante, que já percorreu lugares como Argentina, Uruguai e México, sempre com o objetivo de aperfeiçoar sua fluência em línguas estrangeiras. “No Canadá será incrível, pois irei, pela primeira vez, conhecer um país que só fala Inglês, e Francês em algumas regiões, e conhecer a cultura local, que já é vinda de pessoas que não são canadenses oficiais, que têm raízes africanas/haitianas, o que irá me levar a conhecer ainda mais outras culturas e sotaques”, disse o aluno.

Ele também está com expectativa de viver a rotina canadense, pois irá ficar em uma casa de família. “Será bem enriquecedor, e o melhor é que vou poder deixar um pouco da minha essência como brasiliense e filho de nordestinos”, detalhou. Ele destaca ainda a importância dos estudos de idiomas na sua vida para chegar onde está hoje. “O Inglês entrou há 6 anos na minha vida e me ajudou a conquistar independência geográfica e agora poder ficar 1 mês no Canadá estudando apenas Inglês; essa imersão será marcante nos meus estudos, pois o dia a dia para quem estuda uma língua é essencial para a chegada da fluência”, opinou.

Sobre seus planos para o futuro, ele é bem claro. No retorno, pretende levar todo o conhecimento adquirido para os seus alunos do projeto social em que dá aula no Areal, pois lá foi o primeiro lugar que o acolheu como professor. “Esse repasse de conhecimento será de grande valia, pois aumenta a possibilidade de explorar o mundo e muitos conhecerem o IFB, para aproveitar oportunidades como essa que consegui. E com certeza isso abre portas e dá mais segurança para entrar e sair de qualquer lugar, se conectar na área de Eventos com pessoas de outros países”, afirmou o estudante. Ele acredita que o IFB oferece tudo para os seus alunos. “O IFB é uma mãe, pai, avó. Então o ensino e o estudo no IFB foram muito importantes para o meu crescimento pessoal e profissional em todas as áreas, especialmente para ser aprovado nesse edital”, finalizou.

China

No caso de Ian Silva, estudante do curso de Eletrônica do IFB Campus Ceilândia, o embarque é para a China, mas a emoção é semelhante. O intercâmbio será de 24 de julho a 31 de agosto e se desenvolverá em várias cidades e universidades do país.

“Durante o programa iremos passar por algumas das maiores cidades da China, vamos desembarcar em Beijing, mas depois vamos a Chengdu, onde passarei a maior parte do intercâmbio, e nas últimas semanas irei passar também por Ningbo e Shanghai. Quanto à universidade, deveremos fazer visitas em algumas escolas e universidades das cidades que vamos visitar”, disse o estudante. Ele explica que foi selecionado em duas etapas, uma delas com o envio de uma redação, notas escolares e carta de recomendação, já a outra foi uma entrevista online em inglês e português.

“Nunca viajei ao exterior, e a primeira vez vai ser para o outro lado do mundo! Com certeza quero aprender muito sobre a cultura local e estou muito animado para conhecer os outros participantes ao redor do mundo, além de com certeza conhecer as cidades. Vou aprender muito com as diferenças culturais, mas estou muito animado para as visitas de campo, durante o intercâmbio visitaremos grandes empresas como Xiaomi e Volvo e Centros de pesquisa, como o centro de pesquisa de pandas em Chengdu. Espero aprender muito sobre cultura e STEM (Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática, em português) durante o programa”, detalhou Ian.

Para o futuro, ele espera dar continuidade aos estudos em uma universidade e pretende fazer um curso na área de tecnologia, voltado principalmente para computação. “Gostaria muito de trabalhar no futuro com o desenvolvimento de novas tecnologias assistivas para pessoas com necessidades especiais, algo que já estou tendo a oportunidade de desenvolver durante o ensino médio e gostaria de continuar estudando”, afirmou.

Ele acredita que o IFB foi um grande aliado no seu desejo de estudar no exterior e explica que vários dos outros estudantes brasileiros selecionados também são estudantes da rede federal de educação profissional e tecnológica. “O IFB me ajudou além do desempenho acadêmico; aqui tenho oportunidade de estudar com vários professores incríveis, e também me possibilitou atividades fora da sala de aula que contribuíram muito para minha aprovação. Alguns exemplos são o curso de robótica, projeto integrador que desenvolvemos no campus, além de bolsas de pesquisa e extensão, em que estou tendo a oportunidade de aprender muito sobre áreas que gosto de estudar”, finalizou.

Japão

Aynoã Pamplona é mais uma estudante que vai embarcar em um sonho de estudar fora em breve. Ela tem apenas 17 anos e segue para o Japão em abril, onde vai ficar por uma semana em Tóquio percorrendo universidades japonesas, escolas de ensino médio, museus e até mesmo a JAXA, que é a Agência Espacial Japonesa. Aynoã é aluna do ensino médio do IFB Campus Gama, do curso técnico de Química.

Ela foi aprovada no programa que é uma parceria entre a Agência Japonesa e o Conif. Passou por três etapas, todas eliminatórias, sendo a primeira uma análise dos formulários de inscrição e dos certificados de proficiência em inglês; a segunda foi uma análise de informações curriculares. “Nessa fase, apenas 15 pessoas foram escolhidas. Deveriam ser três estudantes por região do Brasil, cada um de um Instituto Federal diferente. E eu fiquei entre os três selecionados do Centro-Oeste. Em seguida, veio a última fase, que foi a análise de uma carta de motivação escrita em inglês, em que eu contei por quais motivos gostaria de participar do programa e de que maneira eu usaria o que aprendesse durante o intercâmbio”, relatou. Ela conta que ficou em lista de espera e, em janeiro deste ano, a Assessoria Internacional do IFB entrou em contato com ela perguntando se ainda teria interesse em participar do programa. “Foi totalmente inesperado, pois eu não imaginava que seria convocada posteriormente. Foi uma das melhores surpresas da minha vida!”, exclamou.

Aynoã nunca teve experiência no exterior e, segundo ela, estudar fora tem sido um sonho desde os 13 anos de idade. “Eu venho de uma realidade simples e, mesmo parecendo algo distante, transformei esse sonho em meta e comecei a procurar meios de poder tornar isso realidade. Depois de muita pesquisa, descobri o mundo das bolsas de estudos fora do país e foi aí que vi a minha chance. Comecei a me preparar desenvolvendo um perfil de liderança e me engajando com atividades extracurriculares, pois são características extremamente relevantes para esses processos seletivos em geral. Minhas expectativas estão altíssimas; sinceramente eu não sei bem o que esperar. Mas tenho certeza que vai ser incrível! A ficha ainda nem caiu direito para mim. Tem momentos que eu fico repetindo para mim mesma que eu realmente vou para o Japão, pois às vezes não parece real”, falou entusiasmada.

O que ela está aguardando nesse intercâmbio é muito aprendizado e troca de experiências. “Sei que o choque cultural vai ser grande e estou extremamente animada com isso. Gosto muito de aprender sobre outras culturas e conhecer sobre realidades diferentes da minha. Sei que vou crescer, não apenas academicamente, mas como pessoa também. Vai ser muito legal poder conhecer um país tão desenvolvido, principalmente na área de tecnologia que é um ramo que me interessa muito, e um pouco sobre a vida das pessoas de lá e dos intercambistas dos outros países que também vão”, detalhou.

Ela acredita que esse intercâmbio vai ser um divisor de águas na sua vida. “Tenho certeza que aprenderei a ver o mundo de outra maneira totalmente diferente. Quero muito fazer faculdade fora do país e para isso também preciso de bolsa de estudos. Esse intercâmbio vai me fazer sentir na pele a experiência de estudar fora e me ajudar a confirmar se realmente quero isso. Após o retorno da viagem, pretendo focar completamente na aplicação de outros programas e faculdades, principalmente no Canadá”, afirmou.

Aynoã credita ao IFB uma das maiores oportunidades que teve na vida. “Estudei a vida toda em escolas públicas e quando entrei no IFB tive a chance de ter acesso a um ensino maravilhoso, ótimos professores e boa infraestrutura, como sempre sonhei. O IF também me ajudou muito com desenvolvimento de liderança e responsabilidade, principalmente com as atividades de extensão. Já atuei como monitora de Língua Portuguesa, representante discente e como mentora do projeto “Meninas na Ciência”, além dos eventos e palestras que tive a honra de participar. Posso dizer que o IFB exerceu um papel fundamental nessa aprovação”, concluiu a estudante.

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página