Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Estrutural > Confira aqui a cobertura do evento TIC TAC no Campus Estrutural
Início do conteúdo da página

Confira aqui a cobertura do evento TIC TAC no Campus Estrutural

Criado: Quinta, 03 de Outubro de 2019, 16h58 | Publicado: Quinta, 03 de Outubro de 2019, 16h49 | Última atualização em Sexta, 04 de Outubro de 2019, 08h57 | Acessos: 487

Gabriela Dornelas, aluna do 1º ano do curso de ensino médio integrado em Química do IFB/Campus Gama, participa, hoje (dia 3/10), da 4ª edição do projeto TIC TAC, desta vez realizada no IFB/Campus Estrutural. "Espero descobrir qual caminho realmente devo seguir como profissional um dia; hoje tenho muito interesse pela Matemática", conta ela. Já Katlyn Lorrayne, estudante do 9º ano do Centro de Ensino nº 25 de Ceilândia, disse, enfática: "Quem não gosta de tecnologia e internet?!".

Meninas como Gabriela e Katlyn, entre 14 e 16 anos, vão estar ligadas na programação, que acontece até o dia 4 de outubro, com a participação de estudantes dos Centros de Ensino da Rede Pública de Ceilândia, Estrutural e Taguatinga  e das unidades do  IFB da Estrutural, Gama e São Sebastião.

A programação convida as meninas a participar de oficinas tecnológicas, que envolvem jogos interativos (Scratch), programação em Python, produção de Podcasting, aplicativos móveis e programa de automação de arduino, com a professora Raiana Barcelos, professora do IFB/Campus Ceilândia. O evento conta com a presença de 120 estudantes e também terá em sua grade diária rodas de conversa sobre temas como Sororidade e Novas Mídias Digitais, com a repórter global Bárbara Lins, e palestras de entidades parceiras, como da Universidade de Brasília (UnB).   

"Toda a escola se envolveu na atividade, desde a logística até a tecnologia da informação; os professores também foram multiplicadores das informações sobre o evento entre os alunos. Os meninos têm nos cobrado também a participação nessas atividades, mas tentamos explicar e apresentar dados que justificam o direcionamento da ação para as meninas. Há ainda muita dificuldade na entrada do mercado de tecnologia da informação pelas mulheres", disse a professora Isabelita Solano, responsável pela comissão organizadora do evento no IFB/Campus Estrutural.

A Editora do IFB também levou seu acervo para distribuição às meninas participantes do projeto.

Autoconfiança pelo empoderamento feminino

"Neste primeiro dia já estou vendo conhecimentos tecnológicos que nunca pensei que teria acesso. Além de ser muito divertido, também abre espaço para nós, meninas,  ampliarmos nossos horizontes e pensarmos em uma carreira nessa área."  — Larissa Borges, aluna do curso integrado Técnico em Administração do IFB/Campus São Sebastião.

"Não sabia que seria tão bom quanto está sendo; os temas das oficinas estão ótimos. Quero todo mês participar do TIC TAC." — Evilly Karollyne França, aluna do 1º ano do curso integrado Técnico em Manutenção Automotivado do IFB/Campus Estrutural.

"Estou participando da oficina de Arduíno e estou adorando a experiência." — Lívia Siqueira Balbino, aluna do 2º ano do curso integrado Técnico em Manutenção Automotiva do IFB/Campus Estrutural.

"Muito interessante e estou aprendendo muitas coisas novas. Estou me identificando com a proposta e participei da oficina de Arduíno também". — Michelle Victória, aluna do 2º ano do curso integrado Técnico em Manutenção Automotiva do IFB/Campus Estrutural.

Mulheres: da sala de aula para o mundo

Do ponto de vista pedagógico e social, a coordenadora da Assistência Estudantil e Inclusão Social do IFB/Campus Gama, professora Tatiane Melo, elogiou o foco das oficinas, que aliam a tecnologia à inclusão social. "Muito interessante a iniciativa do Instituto em abrir as portas para combater a desigualdade de gênero. De certa forma, essas ações vão refletir nas próximas gerações dessas meninas e impactar no mercado profissional. Como professora me sinto agradecida por estar aqui participando deste projeto também." 

Já Rafaela Fernandes do Prado, professora de Matemática do IFB/Campus Gama, espera que suas estudantes saiam com uma nova visão de oportunidades. "Achei muito interessante o depoimento de algumas alunas minhas que julgavam não serem capazes de participar de um evento como este. Este tipo de questionamento me preocupou muito, porque estavam ali diante de mim as melhores alunas da classe. Então, sinceramente, aposto em uma transformação pessoal delas, para que possam acreditar em si e não sejam julgadas no mercado pela beleza ou outros padrões sociais tão presentes na nossa cultura".

Solenidade de abertura

Durante a manhã do dia 3 de outubro, foi realizada a solenidade de abertura do projeto TIC TAC com a presença de Luciana Miyoko Massukado, reitora do IFB, Giano Copetti, diretor-geral do IFB/Campus Estrutural, Bruno Ramos e Ana Veneroso (UIT), Carol Ferracini, representante da ONU Mulheres do Brasil, e Ana Sena (OPAS).

A reitora Luciana Massukado mencionou a expectativa de novas programações para 2020. "Esperamos iniciar um novo calendário para 2020 e levar o projeto para nossos outros campi. É muito gratificante ouvir dos parceiros que estão sendo inseridas meninas que realmente fazem parte do perfil. 

Bruno Ramos, representante da UIT e coordenador do projeto, estava entusiasmado com a realização de mais um evento no Instituto. "A parceria com o IFB tem uma capilaridade muito importante para esse trabalho; já estamos no  quarto evento e a cada ano uma nova repercussão sobre o tema surge. A gente não sabe quanto este dia pode mudar a vida dessas meninas. Temos relatos de que esse trabalho ampliou a capacidade de visão dessas meninas, que passaram a enxergar um mundo muito mais amplo e com novas possibilidades até mesmo pelo contato que acontece aqui com novas empresas", comentou.

Do aspecto de inclusão social, Carol Ferracini, representante da ONU, ressaltou a ampliação das oportunidades para as mulheres e do conhecimento em relação à informação. "As meninas aqui podem escolher novos caminhos em suas vidas e desafiar os estereótipos sociais definidos. É legal para elas ter acesso a essas discussões que normalmente passam apenas pelo universo masculino. Esse olhar também passa pelas diferenças entre as próprias mulheres, que, a partir daí, observam o mundo por uma lente crítica e corajosa, colocando-se como agente de mudança". 

Conheça o American Girls Can Code/Projeto TIC TAC (Tecnologia da Informação e Comunicação e Transformação, Atitude e Conhecimento) — Trata-se de um evento promovido pela União Internacional de Telecomunicações (UIT), agência especializada das Nações Unidas (ONU) para o setor de TIC, que está relacionado ao cumprimento do Objetivo 5 da Agenda 2030 da ONU, de "alcançar a igualdade de gênero e empoderar mulheres e meninas". Segundo os dados, a desigualdade de gênero também é um obstáculo na hora em que mulheres decidem acessar a rede mundial de computadores ou planejar uma carreira na área de tecnologia. Outro dado importante da UIT é que hoje há 257 milhões a menos de usuárias de internet na comparação com os homens conectados. As próximas visitas serão internacionais e estão previstas reuniões com os países do Paraguai e Colômbia, conforme informado por Ana Veneroso, coordenadora das atividades/UIT.

 

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página