Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Portuguese Portuguese
pt Portugueseen Englishes Spanish
Página inicial > Reitoria > Dicas e cuidados para prevenção do Coronavírus
Início do conteúdo da página

Dicas e cuidados para prevenção do Coronavírus

Criado: Quinta, 12 de Março de 2020, 17h28 | Publicado: Quinta, 12 de Março de 2020, 19h27 | Última atualização em Segunda, 22 de Junho de 2020, 17h57 | Acessos: 16263

As principais recomendações incluem bons hábitos de higiene. Diante disso, a Organização Mundial de Saúde (OMS) divulgou documento com dicas e dúvidas mais comuns para se proteger da doença. Segundo o Ministério da Saúde, o coronavírus é transmitido de diversas maneiras. As principais formas são pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas — saliva, tosse e espirro —, contato pessoal próximo, com objetos ou superfícies contaminadas e contato com a boca, nariz ou olhos. Daí a importância da higienização adequada das mãos. Confira algumas dicas: 

Medidas de higiene pessoal ajudam a prevenir-se do coronavírus

Ele é transmitido por gotículas de saliva e catarro que se espalham pelo ambiente. Até por isso, a principal forma de prevenção é lavar as mãos com água e sabão frequentemente, em especial após tossir, espirrar, ir ao banheiro e mexer com animais. Ter um frasco de álcool gel na bolsa também é indicado. Ao adotar essa estratégia, evita-se que o vírus acesse seu organismo após você colocar as mãos em uma superfície contaminada. A mesma medida, aliás, vale para afastar o risco de gripe e outras tantas infecções.

Como evitar a infecção em locais públicos?

Primeiro, é importante reforçar que não há motivo para pânico. A mortalidade do coronavírus não parece ser muito alta e não enfrentamos uma epidemia no Brasil. Ainda assim, vale seguir aquela recomendação aplicada a qualquer doença que se dissemina pelo ar: mantenha distância de pessoas que apresentem sintomas como tosse, coriza e febre. Por outro lado, ao espirrar e tossir, cubra o rosto com um braço ou lenço descartável. Seguindo essas orientações, você cuida de quem está ao seu redor e de si mesmo.

Usar máscara no rosto evita o coronavírus?

Você provavelmente já viu imagens de pessoas nas ruas da China com máscaras no rosto em reportagens dos telejornais. E sim: ela pode reduzir um pouco o risco de infecção.

No entanto, o acessório é recomendado em situações locais de surto intenso. Esse é o único cenário no qual se indica a máscara para a população geral, até porque, quando não empregada corretamente, ela só dá uma falsa sensação de segurança. No mais, de pouco adianta vestir esse equipamento e não lavar as mãos.

Evite grandes aglomerações. Também prefira alimentos cozidos e não compartilhe talheres.

Ah, e lembre-se de não passar as mãos nos olhos, nariz e boca ou entrar em contato com bichos doentes. Outro conselho é manter a caderneta de vacinação em dia, mesmo que não haja imunizante para o novo problema. Isso porque, em conjunto com o coronavírus, outros vírus e bactérias causariam estragos adicionais. Ou seja: o coronavírus é mais perigoso para quem está com o sistema imunológico fraco, o que pode ocorrer devido à ação de outras infecções, a exemplo da gripe, que tem vacina. 

SERVIÇOS
 
Segundo informações da Secretaria de Saúde, a rede pública conta com um planejamento de contingência para atender os infectados e os possíveis infectados. Os principais pontos de atendimento são o Hospital Regional da Asa Norte (Hran) e o Hospital de Base. Também há uma parceria entre a Secretaria da Saúde e o Aeroporto de Brasília para atender os passageiros que possam estar com o vírus.
 
Lembrando que esses cuidados não são apenas em relação ao Coronavírus - ainda há a Dengue, a Chicungunha, o H1N1, a Influenza e diversas outras doenças e vírus. Então faça a sua parte e use o álcool em gel, principalmente neste período.
 

 
Fontes pesquisadas: Correio Braziliense, portal G1, Ministério da Saúde, OMS e portal Saúde Abril
registrado em: ,
Fim do conteúdo da página