Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Portuguese Portuguese
pt Portugueseen Englishes Spanish
Página inicial > Riacho Fundo > Tertúlia Literária promove ciclo de leituras Legenda Áurea: Vidas de Santos, de Jacopo de Varazze
Início do conteúdo da página

Tertúlia Literária promove ciclo de leituras Legenda Áurea: Vidas de Santos, de Jacopo de Varazze

Criado: Terça, 20 de Setembro de 2022, 20h29 | Publicado: Terça, 20 de Setembro de 2022, 20h29 | Última atualização em Terça, 20 de Setembro de 2022, 20h31 | Acessos: 117

Sobre a Legenda Áurea, de Jacopo de Varazze

Se pudéssemos figurar em um fato a mudança de mentalidade que se opera desde o medievo até o tempo presente, o destino da Legenda Áurea, compilação de hagiografias do dominicano Jacopo de Varazze, talvez expressasse de modo eloquente a intensidade dessa transformação. O texto de Varazze, publicado no século XIII, hoje desconhecido do grande público, ombreou, em fama, a própria Bíblia.

Como se disse, a obra de Varazze é uma compilação de hagiografias, ou seja, narrativas que se ocupam dos atos de santidade manifestos na vida de um santo. Caracterização insuficiente, entretanto. Em primeiro lugar porque, do ponto de vista de sua manufatura, é superior à simples compilação. Seus estudiosos contemporâneos reconhecem-lhe os méritos da autoria. Em segundo lugar, se bem que a vida dos santos prevaleça quantitativamente, seus 175 capítulos (na edição brasileira) englobam uma pluralidade de gêneros.

À semelhança dos monges anacoretas que populam o texto de Varazze, a Legenda Áurea conheceu tempos de deserto. Confrontada pelo ceticismo moderno, o legendário medieval foi degredado para o domínio das lendas e da mitologia religiosa.

Ironicamente, foram os historiadores que resgataram o livro de Varazze do esquecimento, reabilitando-o como fonte histórica. Mas seu testemunho histórico, para o historiador contemporâneo, não diz respeito às gestas dos santos, mas à mentalidade dos homens e mulheres da sociedade medieval europeia.

 

Nas últimas décadas, pesquisadores de vários países dedicaram-se ao estudo da Legenda Áurea. O medievalista francês Jacques Le Goff, por exemplo, consagrou-lhe o instigante estudo intitulado Em busca do tempo sagrado. No Brasil, acumulam-se estudos acadêmicos sobre ela e a editora Companhia das Letras publicou, em 2003, uma cuidadosa edição, traduzida diretamente do latim por Hilário Franco Júnior, respeitado medievalista brasileiro.

 

Sobre o ciclo de leitura

No próximo dia 30 de setembro, sexta-feira, a partir das 15h30min, a Tertúlia Literária do IFB Campus Riacho Fundo inicia o ciclo de leituras Legenda Áurea: Vidas de Santos. Na ocasião, teremos oportunidade de formar um quadro mais detalhado da obra e de seu contexto de produção. Conversaremos sobre os gêneros textuais nela abrigados, a vida de seu autor, suas circunstâncias de produção e circulação etc.

Nas reuniões semanais, realizaremos a leitura de hagiografias selecionadas. No curso desse exercício, empreenderemos um verdadeiro trabalho de exploração do texto, com o objetivo de vasculhar suas camadas de sentido.

As discussões procurarão elucidar temas emergentes do texto, como a caracterização e morfologia da hagiografia medieval, as concepções de santidade testemunhadas pela obra, as funções didática e catequética das narrativas.

Servirão também de ponto de partida para conversações livres sobre temas vinculados às circunstâncias de sua produção: o culto dos santos, o monaquismo ocidental, a produção e circulação do saber na cristandade medieval, a mentalidade dos homens e mulheres medievais.

 

Participe

Fim do conteúdo da página