Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Riacho Fundo > Campus Riacho Fundo leva cursos à comunidade nas áreas de gastronomia e alimentação
Início do conteúdo da página

Campus Riacho Fundo leva cursos à comunidade nas áreas de gastronomia e alimentação

Criado: Terça, 18 de Fevereiro de 2014, 15h37 | Publicado: Terça, 18 de Fevereiro de 2014, 15h37 | Última atualização em Quarta, 19 de Fevereiro de 2014, 10h04 | Acessos: 5323

A história do Campus Riacho Fundo começou no segundo semestre de 2011, quando o Campus Samambaia foi convidado a ser “padrinho” da nova unidade do IFB, a ser instalada na comunidade do Riacho Fundo I para atendimento de seus habitantes, assim como daqueles das cidades vizinhas. A professora Dra. Alesssandra Silva foi convidada para dirigir o novo campus.

 

A princípio, sem uma definição de local para a implantação da sede do Campus Riacho Fundo, o IFB contou com o apoio da Secretaria de Edução do Distrito Federal por meio da Escola Azul de Andar (Centro de Ensino Fundamental 03 do Riacho Fundo). O colégio da rede pública cedeu o espaço para as primeiras aulas que já se iniciariam no primeiro semestre de 2011.

 

Naquele ano, foram oferecidas 158 vagas em cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC) de Padeiro, Operador Básico de Computador, Espanhol, Inglês e Atendimento ao Cliente. O primeiro curso técnico do Campus Riacho Fundo – Técnico em Transações Imobiliárias – foi lançado em dezembro de 2011.

 

As aulas do curso de formação de corretores de imóveis começavam no início de 2012. Nesse momento, o Campus Riacho Fundo já dispunha de uma infraestrutura provisória: um prédio alugado que foi adaptado para ter salas de aula e laboratórios de informática, cozinha e de bar. A oferta de cursos na área de Gastronomia teria início tão logo os laboratórios estivessem prontos, de forma a atender o que a sociedade local definiu em audiência pública como missão para o Campus Riacho Fundo.

 

A diretora-geral do campus, Alessandra Ferreira, destaca como peça fundamental para a implantação e sucesso dos novos cursos, as parcerias firmadas com o Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci/DF) e com o Conselho Federal de Corretores de Imóveis (Cofeci), assim como a participação de empresários da área de Bar e Restaurante, com o apoio do Sindhobar. “As parcerias foram e continuam sendo importantes no sentido de estabelecer uma formação do egresso alinhada às necessidades do mercado de trabalho, sem deixar de lado a formação cidadã e crítica dos cursos ofertados pelo IFB”, frisou a docente.

Assim, em janeiro de 2012, o prédio que atualmente abriga (de forma provisória) a sede do campus foi entregue reformado. Com aulas ainda no colégio Azul de Andar e também na nova sede, outros cursos FIC puderam ser oferecidos, como Manipulador de Alimentos, Noções de Gestão de Pessoas e Folha de Pagamento, Recepcionista Bilíngue de Eventos, entre outros.

 

O campus chama a comunidade – No intuito de convidar a comunidade a conhecer o campus e os cursos ofertados, o Campus Riacho Fundo começou a realizar a divulgação de seus cursos com atividades especiais e diferentes estratégias de comunicação.

 

Ao final de 2012, a praça central do Riacho Fundo foi palco de palestras orientativas, inscrições e oficina de decoração de cupcakes. A atividade contou com o apoio da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb), que forneceu a água distribuída ao público, e da Administração Regional do Riacho Fundo, que cedeu o espaço do estacionamento, ao lado da feira central da cidade. Em 2013, as atividades do Campus Riacho Fundo também foram divulgadas na Feira da Educação Profissional e Tecnológica (FEPET), no Pátio Brasil Shopping. Os estudantes do curso Técnico em Cozinha ministraram oficinas de risoto e doces para o público durante a feira. 

 

Novos cursos – No início de 2013, com a estrutura de laboratórios já instalada, o Campus Riacho Fundo lançou seu segundo curso técnico, o de Técnico em Cozinha (Gastronomia). No mesmo período, o Campus inicia a sua participação no Programa Institucional denominado Mulheres Mil com o curso de Doceira. O objetivo do programa é orientar as mulheres em situação de vulnerabilidade, ofertando capacitação e treinamento, além de oferecer discussões, por meio de palestras com temas, como a saúde da mulher, segurança, família, direitos e outras questões de gênero e inclusão social.

 

É também em 2013 que a unidade passa atuar na modalidade Educação a Distância, capacitando os servidores da educação do GDF pelo programa Profuncionário. O programa tem como objetivo a capacitação de servidores atuantes nas escolas da rede pública de ensino do Distrito Federal em diferentes áreas, como alimentação escolar, multimeios didáticos, gestão escolar e informática.

 

Em 2013, o campus implantou o polo de extensão na Candangolândia, sob a coordenação da professora. Adriana Santos, exclusivamente para oferta de cursos via Pronatec, Programa do Governo Federal de Acesso ao Ensino Técnico. A unidade fica na Rua dos Transportes, Área Especial Nº 1, no prédio da Administração Regional da Candagolândia.

 

Dando continuidade ao cumprimento nas metas que foram definidas com base no que a sociedade local estabeleceu em audiência pública e consultas posteriores, o campus pretende abrir o primeiro curso superior da unidade, a Licenciatura em Letras/Inglês para o segundo semestre de 2014. Outro curso técnico, em Panificação e Confeitaria está sob avaliação e também deverá ser lançado.

 

A unidade aguarda agora a finalização do prédio sede, que permitirá a expansão da oferta de cursos para a comunidade. A estrutura definitiva está prevista para ser entregue no final desse ano. O novo espaço ficará na esquina entre as Avenidas Sucupira e Cedro do Riacho Fundo I. A sede do campus terá capacidade para atender 1.200 alunos. O projeto prevê a instalação de laboratórios de gastronomia, bar e restaurante, biblioteca, auditório com capacidade para 200 pessoas, laboratórios de informática e hospedagem.

 

Com a sede definitiva, espera-se atender melhor a comunidade, buscando a excelência na oferta dos cursos técnicos, tecnólogos e de licenciatura. “O novo campus será um espaço onde o aluno se sinta acolhido e incentivado a desenvolver habilidades profissionais que o habilitem ao mundo do trabalho”, finalizou Alessandra.

Fim do conteúdo da página