Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > São Sebastião > Campus São Sebastião realiza mutirão de plantio
Início do conteúdo da página

Campus São Sebastião realiza mutirão de plantio

Criado: Segunda, 11 de Novembro de 2019, 16h38 | Publicado: Segunda, 11 de Novembro de 2019, 16h38 | Última atualização em Terça, 19 de Novembro de 2019, 15h59 | Acessos: 281

O 2º Mutirão de Plantio do Campus São Sebastião, ocorrido na última sexta-feira (08), integrou a programação do III Simpósio de Letramento e Criatividade dos cursos de graduação do campus. A atividade durou a manhã toda e foram plantadas cerca de 50 mudas, com adubação verde, sendo algumas delas doadas pelo Jardim Botânico de Brasília, e o restante, fruto da produção do próprio viveiro do campus, onde são realizadas as aulas práticas do curso de Formação Inicial e Continuada (FIC) em Viveiricultora. A maioria das mudas plantadas são de espécies nativas do cerrado, mas também fizeram parte mudas de ornamentais. O mutirão foi aberto a toda a comunidade.

A motivação para a realização dessa ação veio do projeto Tempo de Plantar, que tem como objetivo plantar 1 milhão de árvores em todo o DF, até o dia 8 de dezembro. O projeto foi apresentado à direção pela professora Simone Pinheiro, do Campus Brasília, e pela professora Paula Petracco, do Campus Planaltina, que estão atualmente atuando no Campus São Sebastião como colaboradoras no curso de Viveiricultora.

Para tornar possível o mutirão, foi preciso um trabalho em equipe, que envolveu docentes, técnicos, voluntários e alunos. Essa não é a primeira vez que o campus se mobiliza para plantar árvores. O primeiro mutirão aconteceu em abril de 2018 (CLIQUE para ler matéria) e também contou com trabalho conjunto da comunidade interna e externa. Segundo o diretor-geral do Campus São Sebastião, Robson Caldas, ações como essa serão sempre incentivadas e apoiadas. “Apesar de não possuirmos um curso regular na área do meio ambiente desde 2016, o campus atua fortemente em ações de incentivo à agricultura urbana de base agroecológica e à preservação e recuperação do meio ambiente por meio do Núcleo de Estudos Agroecológicos (NEA). Já realizamos vários plantios em nascentes, instalamos horto medicinal, cisternas de captação de água de chuva, sediamos a pré-conferência distrital do meio-ambiente, apoiamos projeto de recuperação de áreas degradadas, dentre outros”, finalizou.

Fim do conteúdo da página