Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Taguatinga > Oficina do Mulheres Mil foca nas parcerias
Início do conteúdo da página

Oficina do Mulheres Mil foca nas parcerias

Criado: Quinta, 27 de Outubro de 2011, 08h40 | Publicado: Quinta, 27 de Outubro de 2011, 08h40 | Última atualização em Quinta, 05 de Dezembro de 2013, 10h22 | Acessos: 1577

O foco principal da 3ª Oficina de Formação do Programa Mulheres Mil, ocorrida nessa terça-feira, 25, foram as informações sobre as parcerias que os Institutos Federais (IF's) devem construir para implantar o projeto em suas comunidades. Maria Thereza Fabro, do Instituto Federal do Maranhão (IFMA), detalhou como o programa deve ser desenvolvido.

Maria Thereza Fadro, do IFMA, em palestra na 3ª Oficina de Formação do Mulheres MilEntre os parceiros do Ministério da Educação (MEC) que já estão atuando, foram citados o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), a Secretaria Especial de Políticas Para Mulheres, a Secretaria Especial de Direitos Humanos, o Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif) e a Organização dos Estados Ibero-Americanos (OIE).

Maria Thereza relatou experiências de parcerias que já foram desenvolvidas no projeto-piloto. Ela contou o caso do Instituto Federal do Tocantins (IFTO), que realizou o Mulheres Mil tendo a Prefeitura de Palmas como parceira. Os cursos foram oferecidos em uma escola do município. Foi citada também a experiência do IFMA, cujos parceiros vieram do sistema S.

Aliados na capacitação
As redes de educação, estadual e municipal, podem participar do Mulheres Mil. Exercem papel importante, em especial, contribuindo para elevar a escolaridade das atendidas. As alunas que forem matriculadas receberão não apenas os cursos de formação profissional mas também – quando necessário – aulas que visem aumentar sua escolaridade.

A palestrante usou, como exemplo, o caso do curso de camareira oferecido no Maranhão. O setor hoteleiro daquele Estado exige ao menos o Ensino Fundamental dessas profissionais. Se o Instituto Federal for oferecer capacitação nessa área, deverá observar a necessidade não só de treinar as mulheres para exercerem essa profissão mas também de oferecer a complementação do Ensino Fundamental àquelas que precisarem.

Cursos Oferecidos pelos IF’s no Mulheres Mil
Os Institutos Federais poderão oferecer, por meio desse programa, cursos de alfabetização, Formação Inicial e Continuada (FIC), Proeja no Ensino Fundamental, Proeja no Ensino Médio, Proeja Subsequente, além dos cursos técnicos e superiores. Em todos os casos o objetivo principal é a profissionalização.

Ressaltou-se, na oficina, que as disciplinas de Língua Portuguesa, Matemática, Informática e História da Mulher ou Cidadania da Mulher devem constar de todas as grades curriculares do Mulheres Mil. Os IF’s podem construir turmas multiseriadas e, ainda, usar a certificação de saberes, do Programa Certific, quando houver necessidade de certificar mulheres que não tenham passado pelo ensino regular, mas que sejam capazes de exercer determinada atribuição. 


registrado em: ,
Fim do conteúdo da página